Teoria da Nave Espacial Lua

Ao longo dos anos, foi cientificamente observado que a Lua da Terra possui algumas características estranhas. 

A Lua é o quinto maior satélite natural do Sistema Solar. Acredita-se que tenha sido criado por um impacto gigante entre a jovem Terra e um corpo do tamanho de Marte. Após exame, notou-se que a Lua está aparentemente na órbita errada para seu tamanho, de acordo com sua densidade atual assumida. 

Dados astronômicos indicam que as regiões internas da Lua são menos densas que as externas, dando origem à inevitável especulação de que ela poderia ser oca. Algumas dessas afirmações vêm do fato de que, quando meteoros atingem a Lua, ela toca como um sino. Mais especificamente, quando a tripulação da Apollo, em 20 de novembro de 1969, lançou o módulo lunar, após retornar ao orbitador,

Em julho de 1970, membros da então Academia Soviética de Ciências, Michael Vasin e Alexander Shcherbakov, propuseram a Teoria da Lua da Nave Espacial. A teoria pseudocientífica afirma que a lua da Terra pode na verdade ser uma espaçonave alienígena. 

A tese de Vasin e Shcherbakov era que a Lua é um planetóide oco criado por seres desconhecidos com tecnologia muito superior a qualquer outra na Terra. Máquinas enormes teriam sido usadas para derreter rochas e formar grandes cavidades dentro da lua. 

A Lua consistiria, portanto, em uma casca interna semelhante a um casco e uma casca externa feita de escória rochosa metálica. A “Nave Espacial Lua” foi então colocada em órbita ao redor da Terra. Os defensores desta teoria apontam para o aumento de relatos e fotos de OVNIs tiradas pela NASA em suas missões à lua.

A lua é muito mais velha do que se esperava, talvez até mais velha do que a Terra ou o sol. A idade mais velha da Terra é estimada em 4,6 bilhões de anos, enquanto as rochas lunares foram datadas em 5,3 bilhões de anos. A composição química da poeira sobre a qual as rochas se assentam é notavelmente diferente das próprias rochas. Isso indica que a superfície lunar pode ter sido movida de algum outro lugar e colocada na lua. 

Algumas das crateras da Lua se originaram internamente, mas não há indicação de que a Lua alguma vez esteve quente o suficiente para produzir erupções vulcânicas. Centenas de terremotos lunares são registrados a cada ano que não podem ser atribuídos a quedas de meteoros. Alguns dos terremotos parecem seguir uma programação específica.

A crosta da lua é muito mais dura do que se presumia originalmente. Quando a NASA foi gravada perfurando alguns centímetros na superfície da Lua, parecia que aparas de metal eram visíveis. A lua da Terra é o único satélite natural do Sistema Solar que tem uma órbita circular estacionária e quase perfeita. 

Como se explica a coincidência de que a lua está apenas à distância certa, juntamente com o diâmetro certo, para cobrir completamente o sol durante um eclipse? Astrônomos profissionais têm sido gradualmente desencorajados a investigar um fenômeno que foi relatado na Lua por 1.000 anos. É luz, cor ou outras mudanças de curta duração na aparência da superfície lunar, conhecidas como fenômenos lunares transitórios.

Comente!