O que era o Maná, o alimento misterioso que ‘Deus’ enviou do céu?

Maná – também conhecido como Manna – foi uma substância misteriosa que, de acordo com a Bíblia, foi enviada por Deus e dada aos israelitas enquanto eles viajavam pelo deserto durante o período de ‘quarenta anos’ após o Êxodo.

Na Bíblia, ele explica como os israelitas saíram do Egito, onde haviam sido escravos, para a Terra Prometida.


Eles tiveram que cruzar o deserto do Sinai. E inevitavelmente, dado que havia muitos israelitas e muito pouco cultivo, por ser um deserto, eles ficaram com falta de suprimentos.

Nesse momento, para evitar que a população morresse de fome, Deus enviou o maná do céu.

Ao cair na Terra, o Maná é descrito como algum tipo de semente. Essas sementes foram conectadas um dia depois de terem caído na Terra.

O maná fornecia comida para os israelitas todos os dias, exceto sexta-feira, pois no sábado não caía.

O maná é descrito duas vezes em Êxodo 16: 1-36 e mais uma vez em Números 11: 1-9

No livro bíblico do Êxodo, está escrito que o maná aparecia todas as noites e todas as manhãs depois que o orvalho tinha desaparecido e que tinha que ser recolhido antes que o calor do sol o derretesse.

Segundo relatos históricos, o Maná chegava com o orvalho, à noite.

O maná é descrito como uma espécie de semente semelhante à do coentro, branca, que depois de moída e assada se assemelhava a bolachas com mel, embora em alguns relatos seja descrita como sendo da mesma cor da mirra indiana.

Se dermos uma olhada na Bíblia Hebraica, encontraremos duas descrições referentes ao Maná.

Encontramos a primeira descrição em Êxodo 16: 1-36 e mais uma vez em Números 11: 1-9.

Em Êxodo, o maná é descrito como “uma coisa fina, semelhante a flocos”, semelhante à geada no solo. No Êxodo, o Maná é descrito como tendo uma cor semelhante à geada.

O ‘alimento’ tinha que ser recolhido antes de derreter pelo sol. O Êxodo descreve o maná com gosto de bolachas preparadas com mel.

A Coleta do Maná, c. 
1460-1470

No Livro dos Números, o Maná é detalhado como chegando com o orvalho durante a noite.

Em Números, encontramos detalhes do Maná que se assemelha ao bdélio – uma resina de goma-oleo semitransparente extraída de árvores que crescem na Etiópia, Eritreia e na África Subsaariana.

Homem misterioso …

Então, basicamente, o Maná era um alimento enviado por Deus, para evitar que a população morresse de fome. Mas ainda não sabemos o que foi.

No livro de Êxodo, descobrimos que os israelitas eram instruídos a comer apenas o maná que haviam coletado a cada dia, pois o mana armazenado “criava vermes e fedia”.

No entanto, curiosamente, o maná armazenado um dia antes do sábado não estragou durante a noite, como afirma claramente em Êxodo 16: 23-24:

Isso é o que o Senhor ordenou:

“Amanhã será um dia de descanso, um sábado sagrado para o Senhor. Então, asse o que quiser e ferva o que quiser. Guarde o que sobrou e guarde até de manhã. ”

Então, eles guardaram até de manhã, como Moisés ordenou, e não cheirava mal nem tinha vermes.

Então, o que é Maná? É um alimento naturalmente abundante fornecido por Deus ou, como alguns acreditam?

A Coleta do Maná, c. 1460-1470

Alguns acreditam que o Zohar – uma coleção de comentários espirituais e interpretações da Torá e é central para a crença mística da Cabala escrita no século 13 pode oferecer mais detalhes sobre esta misteriosa fonte de alimento.

No Zohar, encontramos descrições do que é referido como o Ancião dos Dias que fornece Maná.

De acordo com o livro de Daniel Ancião dos Dias é um nome para Deus. Em ícones e hinos cristãos ortodoxos orientais, o Ancião dos Dias às vezes é identificado com Deus Pai ou ocasionalmente com o Espírito Santo.

Do ponto de vista de um teórico dos antigos astronautas , o Zohar descreve uma máquina, ao invés de um Deus.

Conforme observado por teóricos dos antigos astronautas, o Zohar descreve cérebros de tamanhos diferentes, faces de tamanhos diferentes que foram conectadas a tubos e fontes de luz diferentes.

E apesar do fato de que os teólogos sugeriram que esta é uma descrição de Deus, os teóricos dos astronautas antigos argumentam que, de uma perspectiva moderna, o que é descrito no Zohar não é necessariamente uma figura de deus, mas sim um tipo de máquina:

Uma máquina que de alguma forma produziu ‘maná’, uma misteriosa fonte de alimento que ainda não foi identificada, apesar do fato de vários relatos históricos sugerirem que era real.

A teoria da máquina de maná oferece duas explicações sobre a origem dos israelitas.

Um sugere que eles o roubaram dos egípcios antes de seu êxodo, enquanto o outro, os extraterrestres mais controversos de um dos suspeitos, deram a eles como um gesto humanitário, para evitar que morressem de fome no deserto.

De qualquer maneira, a resposta, como a Arca da Aliança, parece perdida na história.

Máquina de Maná

Em 1978, George Sassoon e Rodney Dale escreveram um livro que foi baseado na tradução da seção do Zohar chamada “O Ancião dos Dias”.

No livro, os autores concluem que o maná foi produzido por uma máquina que criou algas como alimento para os seres humanos nos tempos bíblicos.

A chamada máquina Maná foi eventualmente reproduzida por George, que era um engenheiro, que teria seguido as instruções dadas em O Ancião dos Dias.

Depois de criar a máquina, ele afirmou que ela criou uma fonte alimentar de algas.

Além disso, isso explica como os israelenses sobreviveram à jornada de quarenta anos no deserto do Sinai.

É dito por Sassoon e Dale que um reator nuclear usado para alimentar a máquina de maná foi armazenado dentro da Arca da Aliança.

Comente!