Engenheiro da Marinha patenteia reator de fusão – a tecnologia dos OVNIs

Um cientista da Marinha dos EUA por trás de inúmeras patentes de tecnologia exótica agora patenteou um reator de fusão compacto.

Os laboratórios de tecnologia da Marinha dos EUA certamente estiveram ocupados nos últimos anos, com todos os tipos de patentes estranhas e exóticas (chamadas de ‘tecnologia OVNI’) registradas, variando de ‘campos de força’ de alta energia a novos tipos de sistemas de propulsão e projetos de veículos.


Agora, o mesmo engenheiro responsável por patentear a maioria delas está de volta com outra patente – desta vez para um novo tipo de reator de fusão nuclear compacto e revolucionário.

Frequentemente vista como o Santo Graal da geração de energia, a fusão nuclear é o mesmo processo que produz energia no Sol e funciona fundindo núcleos de hidrogênio para criar hélio.

Ao contrário da fissão nuclear, que traz o risco inerente de um colapso, a fusão é muito mais limpa e segura, enquanto o combustível de hidrogênio usado pelo processo é tão abundante que é praticamente ilimitado.

Um reator de fusão nuclear compacto – pequeno o suficiente para caber em um navio ou mesmo em uma espaçonave – seria particularmente revolucionário.

“Atualmente, existem poucos reatores / dispositivos de fusão previstos que vêm em um pacote pequeno e compacto (variando de 0,3 a 2 metros de diâmetro) e normalmente usam versões diferentes do confinamento magnético do plasma”, diz a patente.

“Três desses dispositivos são o reator de fusão compacta Skunk Works da Lockheed Martin (LM) (LM-CFR), o conceito de fusão EMC2 Polywell e a máquina de configuração reversa em campo de Princeton (PFRC)”.

Qual deles, se houver algum, acabará por se tornar a base do reator de fusão compacto da Marinha dos EUA, no entanto, ainda não está claro.

Comente!