Fenômenos

Crença na conspiração de que o homem não pisou na Lua continua a crescer

O historiador-chefe da NASA está preocupado que mais pessoas aceitem a teoria do embuste com o passar do tempo.

Indiscutivelmente a mais notória teoria de conspiração de todos os tempos, a ideia de que os pousos da Apollo na Lua foram uma farsa está inexplicavelmente ainda por aí, apesar de um corpo avassalador de evidências em contrário.


Talvez mais perturbador, no entanto, é o potencial para a crença em tal conspiração aumentar em vez de cair nos próximos anos devido ao grande tempo que as aterrissagens da Apollo realmente aconteceram.

De acordo com Roger Launius, historiador-chefe da NASA de 1990 a 2002, pesquisas mostram que cerca de 5% dos americanos atualmente acreditam que os pousos foram falsificados.

“O que me preocupa mais e mais sobre isso é que, com o passar do tempo e com os desembarques da Apollo no passado, menos pessoas se lembram delas e pode ser mais fácil abraçar as teorias”, disse ele durante uma recente apresentação.

Não é surpresa que a Internet – e, em particular, as mídias sociais – tenham desempenhado um papel significativo na proliferação da conspiração da fraude da Apolo e que parece improvável que mude tão cedo.

“Os americanos adoram teorias da conspiração”, disse Launius.

Com a intenção da Nasa de mandar os humanos de volta à Lua em menos de cinco anos, há pelo menos uma chance de que essa teoria particularmente conspiratória possa em breve ser colocada de lado de uma vez por todas.

Sobre o autor

Renê Fraga

é bacharel em administração de empresas e fundador da FragaNet Networks - empresa especializada em comunicação digital e mídias sociais. Em seu portfólio estão projetos como: Google Discovery, TechCult, AutoBlog e Arquivo UFO. Também foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

Comente!

error: