Ufologia

As probabilidades de encontrar vida em Marte até 2021 são 50/50

Cientistas que desenvolvem o novo ExoMars da Europa estão otimistas sobre suas chances de encontrar vida em Marte.

Ao contrário das missões anteriores, que se concentraram principalmente nas rochas e na superfície do solo, a próxima excursão da ESA ao Planeta Vermelho irá escavar o solo para procurar provas de vida.


O novo rover, que deve ser lançado em 2020 e chegará a Marte no ano seguinte, está sendo equipado com instrumentos de perfuração especiais, além de lasers que podem captar a presença de DNA.

“As chances são de apenas 50/50”, disse a astrobióloga da equipe, Susanne Schwenzer.

“Estamos indo para um local muito interessante”.

Ao longo de sete meses, o veículo movido a energia solar examinará cuidadosamente amostras de solo coletadas abaixo do solo para procurar evidências de que existe vida (ou uma vez existiu) em Marte.

“Não é como dirigir um carro”, disse o operador do veículo Mark Shilton. “Há uma cadeia de software bastante complexa envolvida e é extremamente lenta e metódica. O desafio é que muitas vezes os locais mais interessantes para os geólogos são os mais difíceis para o rover”.

Se o veículo realmente encontrar evidências de vida em Marte – mesmo que tenha morrido milhões de anos atrás -, será sem dúvida uma das descobertas mais importantes da história da humanidade.

Esta missão será definitivamente interessante para acompanhar.

Sobre o autor

Renê Fraga

é bacharel em administração de empresas e fundador da FragaNet Networks - empresa especializada em comunicação digital e mídias sociais. Em seu portfólio estão projetos como: Google Discovery, TechCult, AutoBlog e Arquivo UFO. Também foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

Comente!

error: