Nan Madol: um feito incrível de engenharia

Estruturas antigas incríveis podem ser encontradas em todo o mundo que desafiam todas as explicações. Uma das mais intrigantes é Nan Madol, localizada em uma ilha remota na Micronésia.

Em 2019, Giorgio A. Tsoukalos viajou para Nan Madol para tentar desvendar os mistérios que cercam sua improvável construção.

NAN MADOL: UM INCRÍVEL PROCESSO DE ENGENHARIA

Localizada no meio do vasto Oceano Pacífico, está a ilha micronésia de Pohnpei. Em sua remota costa leste está uma das construções megalíticas mais misteriosas do mundo – Nan Madol. O local consiste em várias estruturas de pedra construídas sobre recifes de coral e conectadas por intrincados cursos de água. Quando os pilotos da Segunda Guerra Mundial sobrevoaram o local, eles o descreveram como a Veneza do Pacífico. O site é completamente anônimo, os construtores não deixaram registros, nem literatura, nem história, nem arte. Não há nada que diga que eles tinham tecnologias avançadas ou conceitos como a matemática que lhes permitiriam construir uma maravilha arqueológica.

A construção em si é única e quase diferente de tudo no mundo. Esta magnífica façanha arquitetônica foi abandonada há pelo menos 500 anos e as raízes das árvores de mangue já tomaram conta do local. Foi finalmente reconhecido como Patrimônio Mundial da UNESCO em 2016, mas permanece em grande parte desconhecido, pois menos de 1.000 pessoas visitam a cada ano. Tive a sorte de viajar para as ruínas com o autor e explorador David Childress em setembro de 2019 e pude examinar o local enigmático.

ORIGENS MISTERIOSAS

Nan Madol funcionou como o centro governante da dinastia Saudeleur. De acordo com relatos locais, esse governo dinástico começou com dois irmãos feiticeiros em algum momento do passado remoto da ilha. A primeira vez que pus os olhos em Nan Madol, pensei que era pré-histórico. Eu vi muitos locais antigos ao redor do mundo. Então, estou familiarizado com a aparência dos sítios pré-históricos. Um sinal revelador, na minha opinião, se uma área é pré-histórica, há muito líquen. Nan Madol está coberto de líquen. Agora, por que o líquen é interessante? Segundo os botânicos, a maioria das espécies da planta cresce incrivelmente devagar, algo como uma polegada a cada 50 anos. Em Nan Madol você tem blocos inteiros cobertos de líquen. Dependendo da espécie exata no local, isso pode indicar uma antiguidade extrema.?

Por outro lado, os antropólogos dataram a construção com base na idade de uma seção específica de coral exposto que os pesquisadores de mistérios mundiais sugerem que pode ter sido parte de uma renovação posterior. Só porque você encontra algum trabalho de correção que data de 1200 dC não significa que todo o site foi construído naquela época. Além disso, de acordo com os estudos convencionais, a construção do local levou mais de 300 anos.

Toda a população da Ilha Pohnpei de 130 milhas quadradas era inferior a 25.000. E apenas cerca de 1.000 pessoas ocupavam a área remota de Nan Madol. É um mistério por que, com recursos humanos tão limitados, eles assumiriam um projeto de tão grande escala para começar.

ESCALA MINDBOGGLING

As estruturas de pedra de Nan Madol foram construídas cerca de 3 pés acima da linha d’água, estabelecendo uma estrutura de pedras e enchendo-a com coral esmagado. Por que os arquitetos do complexo megalítico escolheram construir ao largo da costa em vez de no terreno existente na ilha é mais do que intrigante. Este foi um empreendimento maciço. O local consiste em 92 ilhotas artificiais, ou pequenas ilhas, que se estendem por cerca de uma milha de comprimento e nem mesmo meia milha de largura. O arquiteto construiu estrategicamente as ilhotas de modo que os canais fossem largos o suficiente para as canoas circularem.?

Paredes marinhas artificiais protegem o enclave das ondas do mar. As estruturas maciças no topo das ilhotas foram construídas em um padrão de maca de cabeçalho, semelhante a cabanas de madeira usando pilares de rocha basáltica. Eles são basicamente como troncos megalíticos empilhados e intercalados com enormes pedregulhos megalíticos pesando mais de 50 toneladas. Estamos falando de centenas de blocos enormes que foram empilhados nessas grandes paredes.?

O basalto em si é uma rocha ígnea e, portanto, incrivelmente duro, o que significa que eram necessárias ferramentas de corte sofisticadas. Na verdade, visitamos uma das pedreiras de basalto na área e vimos que os pedreiros modernos usavam dinamite e pés de cabra para libertar os pilares. Arqueólogos estimam que mais de 800.000 toneladas deste material foram usadas na construção. No entanto, pesquisadores modernos sugerem que esse número é conservador e insistem na estimativa de pelo menos 1,6 milhão de toneladas. (O que, como consequência, levanta a questão de onde veio todo o material de construção, porque os recursos de basalto na ilha não parecem representar 1,6 milhão de toneladas.)

Como é possível que os ilhéus cortassem e movimentassem toneladas desse material sem ferramentas de metal, rodas ou polias? Estamos falando de um esforço maciço aqui, quase no mesmo nível da construção da grande pirâmide no Egito. Por que eles exigiriam essa escala de construção em uma pequena ilha no meio do nada com tão poucos habitantes? Não faz sentido.

Com base no que os arqueólogos sabem, grande parte do maciço basalto corresponde à assinatura de pedra de uma pedreira vulcânica a 40 quilômetros de distância, no lado oposto da ilha. Não há indicação de que houvesse alguma tecnologia na ilha capaz de transportar pilares tão maciços. No entanto, o Oficial de Preservação Histórica Nacional da Micronésia, Gus Kohler, assim como outros moradores locais com quem conversamos, insistem que suas tradições orais são muito claras sobre como esses materiais foram transportados.

IMPOSSIBILIDADES DE TRANSPORTE

Cada um dos pedaços de basalto colunar pesa de 5 a 25 toneladas. É muito peso para mover. Então, qual foi a engenharia envolvida em transportá-lo da pedreira a mais de 40 quilômetros do local, através da selva densa? Esses pilares então tiveram que ser empilhados uns sobre os outros, em alguns lugares, com mais de dois andares de altura. Os arqueólogos propõem que eles provavelmente usem algum tipo de trenó ou rolos para mover as pedras sobre a terra. Quando chegassem à água, provavelmente usariam algum tipo de método de flutuação. Houve um experimento dirigido pelo escritório de Preservação Histórica dos Estados Federados da Micronésia há vários anos, usando jangadas de bambu para flutuar essas colunas. As balsas afundaram. O basalto era muito pesado. Então como foi feito?

Os pohnpeianos locais são muito claros que os dois irmãos Saudeleur que vieram para a ilha tinham poderes de feitiçaria e foram capazes de construir este local essencialmente da noite para o dia. Na verdade, os habitantes locais estão convencidos de que os pilares foram lançados pela ilha. De acordo com os cientistas tradicionais, essas histórias nada mais são do que uma invenção da imaginação de nossos ancestrais. Claramente, eu discordo dessa noção e acho que há mais na história. É muito difícil conceber de repente pegar todo o seu pessoal sem experiência com blocos megalíticos e fazê-los construir algo nessa escala – não faz sentido. Você pode perguntar a qualquer engenheiro estrutural… e foi o que eu fiz.?

MATEMÁTICA AVANÇADA

A peça central de todo o complexo é um necrotério real na ilhota de Nan Dowas, com enormes paredes de 24 pés de altura ao redor do recinto da tumba central. Visitei o local com o Dr. Henry Burton, Professor Assistente de Engenharia Estrutural na UCLA. Enquanto estávamos lá, o Dr. Burton notou algo intrigante. Havia uma passagem baixa com uma pedra de lintel, um vão horizontal sobre a abertura. Para que a porta não desmoronasse, os construtores tiveram que calcular o peso esmagando aquela pedra e escolher uma pedra de lintel forte o suficiente para suportar o peso. Não acho que tenha sido um palpite de sorte do arquiteto, já que as estruturas de Nan Madol continuam de pé até hoje. De acordo com o Dr. Burton, para eles fazerem isso, você precisaria de cálculo avançado.?

CONCLUSÃO

O projeto e a construção de Nan Madol exigiram habilidades de alto nível. Claramente o Pohnpeian construiu Nan Madol e tinha essas habilidades. Quem eram seus professores? Quem viajou aqui sabia sobre cálculo. Os extraterrestres que estiveram aqui e instruíram a população local nessas várias disciplinas. Temos histórias duradouras transmitidas pelos habitantes locais, histórias de visitantes estranhos vindos de longe e blocos gigantes de basalto voando pelo ar como que por mágica. Bem ali está a conexão inegável com a teoria dos antigos astronautas.

Comente!