Oumuamua é fragmento de um mundo alienígena

Um novo estudo destacou as origens potencialmente violentas desse misterioso visitante interestelar.

O objeto de 400 metros de comprimento, que sobrevoou nosso planeta em outubro de 2017, tornou-se o foco de muitos debates e intrigas depois que se descobriu ter vindo de um sistema solar distante.


Ainda hoje, a natureza exata e as origens de ‘Oumuamua (da palavra havaiana para ‘escoteiro’) continuam sendo um importante ponto de estudo, com os cientistas tentando determinar exatamente de que objeto é feito, de onde veio e por quanto tempo tem viajado pelo espaço.

Também houve especulações de que o objeto poderia ter sido enviado por uma inteligência extraterrestre; no entanto, as tentativas do SETI e de outros de corroborar isso – incluindo o uso de radiotelescópios para ouvir quaisquer sinais que possam vir dele – até agora foram nulas.

Agora, um novo estudo realizado por uma equipe internacional de cientistas praticamente pôs de lado qualquer possibilidade de que esse viajante de longa distância seja algo além de um objeto que ocorre naturalmente.

“Mostramos que ‘objetos interestelares semelhantes a Oumuamua podem ser produzidos através de extensa fragmentação a partir de encontros de corpos parentais com suas estrelas hospedeiras e depois ejetados para o espaço interestelar”, disse o autor do estudo Douglas NC Lin, da Universidade da Califórnia.

Em outras palavras, objetos longos, semelhantes a fragmentos, são produzidos em grande número e lançados no vazio interestelar quando um planeta ou outro corpo grande se aproxima muito de sua estrela e é violentamente despedaçado.

Isso também sugere que objetos como ‘Oumuamua podem realmente ser bastante comuns.

“A descoberta de ‘Oumuamua implica que a população de objetos interestelares rochosos é muito maior do que pensávamos anteriormente”, disse o co-autor do estudo, Yun Zhang.

“Em média, cada sistema planetário deve ejetar no total cerca de cem trilhões de objetos como ‘Oumuamua”.

Comente!