Existe outro ‘você’ em um universo paralelo?

A hipótese de ‘muitos mundos’ sugere a existência de inúmeros outros universos semelhantes ao nosso, mas diferentes.

A ideia de que vivemos em um número praticamente ilimitado de realidades quase idênticas não é novidade.


Em um universo, por exemplo, você pode ter morrido em um acidente de carro no mês passado, enquanto em outro você pode até se tornar o presidente dos Estados Unidos. 

Todo resultado concebível aconteceu em pelo menos um desses universos – cada versão da história se desenrolou em algum lugar.

Em seu livro recente Something Deeply Hidden , o físico Sean Carroll, do California Institute of Technology, investiga esse conceito com mais detalhes.

A ideia de universos paralelos, ele argumenta, é uma possibilidade definida.

“É absolutamente possível que existam vários mundos em que você tomou decisões diferentes”, disse ele durante uma recente entrevista à NBC. “Estamos apenas obedecendo às leis da física.”

“Não sabemos se o número de mundos é finito ou infinito, mas certamente é um número muito grande”.

Segundo a teoria, cada decisão que uma pessoa toma pode dividir a realidade em duas novas iterações, cada uma seguindo um resultado possível diferente. Com base nisso, Carroll argumenta, os universos paralelos não podem estar situados em nenhum lugar ou hora em particular, mas podem existir em relação ao observador.

No mundo peculiar da mecânica quântica, esse conceito não seria tão surpreendente.

“Antes de você olhar para um objeto, seja um elétron, um átomo ou qualquer outra coisa, ele não está em nenhum local definido”, disse Carrol. “Pode ser mais provável que você o observe em um lugar ou outro, mas na verdade não está localizado em nenhum lugar em particular”.

No entanto, quanto a visitar realidades alternativas, Carroll permanece cético.

“Eles não interagem, não se influenciam de forma alguma”, afirmou. “Atravessar é como viajar mais rápido que a velocidade da luz. Não é algo que você possa fazer.”

Comente!