Motor helicoidal pode atingir velocidades relativísticas

O engenheiro da NASA David Burns desenvolveu um conceito para uma nova unidade capaz de atingir sistemas solares distantes.

Atravessar as vastas distâncias entre as estrelas é sem dúvida um grande problema – até chegar ao nosso vizinho mais próximo com a tecnologia atual levaria milhares de anos.


Mas e se fosse possível percorrer essas distâncias em uma fração do tempo?

Entre David Burns – um engenheiro da NASA com um conceito para um novo tipo de sistema de propulsão que teoricamente pode atingir 99% da velocidade da luz sem precisar de nenhum tipo de propulsor.

Conhecida como o “motor helicoidal”, essa unidade exótica funciona explorando a mudança de massa que ocorre em velocidades relativísticas, conforme descrito na teoria especial da relatividade de Einstein.

A ideia atraiu comparações com o controverso EmDrive do engenheiro aeroespacial Roger Shawyer.

“O mecanismo acelera íons confinados em um loop a velocidades relativísticas moderadas e depois varia sua velocidade para fazer pequenas alterações em sua massa”, escreve Burns. 

“O motor então move os íons para frente e para trás ao longo da direção da viagem para produzir empuxo”.

“O motor não possui partes móveis além de íons que viajam em uma linha de vácuo, presos dentro de campos elétricos e magnéticos”.

Embora a unidade exista apenas no papel no momento, a idéia por trás dela é certamente interessante.

No entanto, ainda não se sabe se ele realmente funcionará na prática.

Comente!