Cientista da NASA: ‘Nós já encontramos vida em Marte’

Gilbert Levin, que trabalhou nos dois navios vikings, sustenta que evidências de vida alienígena foram encontradas em 1976.

Com o Curiosity ainda circulando na superfície de Marte e com outro veículo de acompanhamento a ser lançado no próximo verão, é fácil esquecer que não faz muito tempo que a ideia de pousar uma espaçonave na superfície de Marte parecia pouco. mais do que ficção científica.


A NASA realizou essa façanha pela primeira vez com seus pousadores Viking – duas sondas robóticas ambiciosas que não apenas conseguiram pousar na superfície, mas até tentaram procurar evidências de vida alienígena.

Um de seus experimentos, que buscava encontrar moléculas orgânicas misturando água e nutrientes com amostras do solo marciano, havia retornado inicialmente resultados promissores, mas após uma extensa análise dos resultados, acabou sendo determinado que o resultado provavelmente era um falso positivo .

Nem todos, no entanto, estão convencidos de que esse foi o caso.

Gilbert Levin, que trabalhou nos experimentos de detecção de vida da Viking, permanece inflexível até hoje que os resultados foram de fato evidência convincente da vida biológica na superfície de Marte.

Apesar de estarem a 6.000 milhas de distância, os dois pousos da Viking produziram resultados positivos para o experimento de detecção de vida com Rótulo (LR), com os dados que se aproximam dos dos testes de terra.

A NASA finalmente descartou as conclusões, sugerindo que o experimento havia de fato detectado algo que ‘imitava a vida’, em oposição à própria vida real.

Levin argumenta que houve mais resultados do que a análise oficial sugere e que a NASA tem se esforçado para conduzir experimentos repetidos nos últimos anos.

Em particular, ele acredita que a NASA falhou em seu objetivo de procurar vida em Marte.

No entanto, com o rover ExoMars da ESA e o rover Mars 2020 da NASA, que irão para o Planeta Vermelho em um futuro próximo, a busca pela vida pode realmente estar prestes a começar a sério.

Comente!