Cientistas descobrem fortes evidências da vida em Marte

Estamos esperando alienígenas de Marte há décadas, mas e se a vida fosse derrotada no planeta vermelho antes que a evolução tivesse a chance de acontecer?

Um par de pesquisadores publicou recentemente uma análise de amostras de solo de Marte com 3,5 bilhões de anos contendo compostos químicos chamados “tiofenos” que poderiam, potencialmente, ser orgânicos. 


Se forem, seria altamente provável que as bactérias já tenham vivido no planeta.

Os tiofenos terrestres são considerados sinais indicadores de vida pelos biólogos terrestres. 

A presença desses compostos possivelmente orgânicos no solo marciano representa a evidência mais forte ainda de que a vida pode ter existido em outro lugar que não a Terra.

Antes de nos anteciparmos, no entanto, vale mencionar que mesmo a dupla que conduziu a pesquisa é cética. 

Uma teoria importante para a existência de tiofenos marcianos é, na verdade, impactos de meteoros na superfície do planeta, o que os tornaria abióticos, ou seja, não orgânicos.

Por um comunicado de imprensa sobre o estudo da Universidade Estadual de Washington:

Os impactos de meteoros fornecem uma possível explicação abiótica. Os tiofenos também podem ser criados através da redução termoquímica de sulfato, um processo que envolve um conjunto de compostos que são aquecidos a 120 graus Celsius ou mais.

No entanto, à medida que o comunicado à imprensa continua, existe um cenário um pouco menos provável, mas ainda possível, onde bactérias antigas produziam os tiofenos:

No cenário biológico, as bactérias, que podem ter existido há mais de três bilhões de anos atrás, quando Marte estava mais quente e úmido, poderiam facilitar um processo de redução de sulfato que resulta em tiofenos. Existem também outras vias em que os tiofenos são decompostos por bactérias.

Infelizmente, o rover de Marte não é um astrobiólogo. Pode levar botas humanas em solo marciano para determinar a origem dos tiofenos. 

Enquanto isso, a equipe pretende realizar pesquisas adicionais e, talvez, obter alguns dados de teste mais específicos do próprio rover.

Os pesquisadores ainda não estão declarando a busca por vida alienígena completa. Embora a presença de tiofenos no solo marciano seja empolgante, não é a confirmação definitiva que os cientistas estão procurando. 

Pode demorar um pouco até que possamos dizer com certeza se a vida – bacteriana ou não – já existiu em Marte.

Digamos que os tiofenos sejam orgânicos, e daí? Três milhões de anos atrás, havia pelo menos quatro espécies diferentes de hominídeos perambulando pela Terra; se Marte tivesse bactérias vivas na época, seria lógico que a evolução levaria a formas de vida mais complexas – a menos que algo acontecesse para impedir o próximo estágio biológico desenvolvimento ocorra.

Comente!