Curiosidades

Cientistas observam evento mais raro já registrado

Um evento extremamente raro foi observado por cientistas que trabalham em desvendar os mistérios da matéria escura.

A descoberta gira em torno do decaimento radioativo do xenônio-124 – um processo que é tão ridiculamente lento que leva mais de um trilhão de vezes a idade do universo.


A oportunidade de ver essa decadência em ação, portanto, é incrivelmente rara.

O avanço foi feito por pesquisadores do projeto de pesquisa de matéria escura XENON, que usa um instrumento conhecido como XENON1T para ajudar a encontrar evidências diretas de matéria escura.

A instalação está localizada a 500 metros abaixo das montanhas de Gran Sasso, na Itália, e o instrumento em si é enterrado em água para ajudar a protegê-lo dos raios cósmicos.

O objetivo dessa configuração é observar a interação entre átomos de matéria escura e o núcleo dos átomos de xenônio dentro do detector.

O que os pesquisadores viram neste caso, no entanto, foi um próton dentro do núcleo de um átomo de xenônio, mudando para um nêutron – um evento descrito como “uma coisa rara multiplicada por outra coisa rara”.

“Nós realmente vimos isto acontecer”, disse Ethan Brown, co-autor do estudo.

“É o processo mais longo e mais lento que já foi observado diretamente, e nosso detector de matéria escura foi sensível o suficiente para medi-lo.”

Sobre o autor

Renê Fraga

é bacharel em administração de empresas e fundador da FragaNet Networks - empresa especializada em comunicação digital e mídias sociais. Em seu portfólio estão projetos como: Google Discovery, TechCult, AutoBlog e Arquivo UFO. Também foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

Comente!

error: