Curiosidades

Humanos em Marte poderiam se tornar uma nova espécie

Um biólogo evolucionista descreveu o que provavelmente acontecerá quando as pessoas começarem a viver em tempo integral em Marte.

Imagine por um momento que a humanidade não apenas conseguiu um pouso bem-sucedido no Planeta Vermelho, mas também construiu uma colônia permanente e auto-suficiente, povoada por centenas de pessoas.

Em uma entrevista recente ao Inverso, o professor Scott Solomon, da Rice University, Texas, falou sobre algumas das mudanças e adaptações que os humanos que vivem em uma colônia podem começar a sofrer.


“A evolução é mais rápida ou mais lenta, dependendo de quanto de vantagem existe para ter uma certa mutação”, disse ele.

“Se uma mutação aparece para as pessoas que vivem em Marte, e isso lhes dá uma vantagem de 50% de sobrevivência, isso é uma enorme vantagem, certo? E isso significa que esses indivíduos vão passar esses genes em uma taxa muito maior do que caso contrário eles teriam. “

Os marcianos poderiam, por exemplo, desenvolver ossos mais fortes e mais densos para compensar a menor gravidade. Eles também poderiam acabar com um tom de pele diferente para ajudar a proteger contra a radiação prejudicial.

Viver em módulos habitacionais apertados pode significar que a miopia se torna um traço mais comum, assim como a capacidade de fazer uso mais eficiente do oxigênio disponível.

Separados das bactérias e vírus encontrados na Terra, o povo de Marte também pode acabar com um sistema imunológico mais fraco, que poderia tornar os encontros íntimos com os visitantes da Terra muito arriscados.

Eventualmente, dado tempo suficiente, os colonos de Marte podem até se tornar uma espécie totalmente nova.

Sobre o autor

Renê Fraga

é bacharel em administração de empresas e fundador da FragaNet Networks - empresa especializada em comunicação digital e mídias sociais. Em seu portfólio estão projetos como: Google Discovery, TechCult, AutoBlog e Arquivo UFO. Também foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

Comente!

error: