OVNIs? Robôs assassinos? Zumbis? O Dept. de Defesa dos EUA está preparado

O programa secreto do Pentágono, que fou revelado recentemente com a investigando OVNIs, não é a única vez que o Departamento de Defesa planejou cenários que parecem melhores para um filme de ficção científica.

Alguns anos atrás, o DoD tinha um “plano” de treinamento para lidar com um “apocalipse zumbi”.


Um documento não classificado CONPLAN 8888 do Comando Estratégico dos EUA delineou um exercício de treinamento – para evitar os mortos em movimento.

No CONPLAN 8888, o objetivo era desenvolver uma estratégia militar abrangente para evitar que os humanos “não zumbis” fossem consumidos por uma horda zumbi.

Um porta-voz do Pentágono disse à ABC News que o CONPLAN 8888 foi projetado apenas como um exercício de treinamento interno em 2011 no qual os alunos aprenderam conceitos básicos de planejamento militar para um ataque de ficção – neste caso – um “apocalipse zumbi”.

“Este documento datado não é, e nunca foi, um plano de comando estratégico dos EUA”, disse o major Brian Maguire.

John Pike, especialista em política de defesa, espacial e de inteligência e diretor da GlobalSecurity.org, disse que os planos “zumbis” usaram um adversário fictício para evitar nomes de adversários reais como a Coréia do Norte ou a China.

Ao mesmo tempo, Pike disse, o Pentágono tem um plano do mundo real para lidar com robôs.

É conhecido como o sistema robótico e autônomo (RAS) e, de acordo com Pike, RAS pode ajudar o exército dos EUA com um dos seus desafios de campo de batalha mais prementes.

Enquanto um “robô assassino” totalmente autônomo ainda não foi desenvolvido, disse Pike, os avanços na tecnologia estão se aproximando da realidade.

“Os robôs assassinos são infinitamente corajosos”, disse Pike. “Eles não têm piedade e seguem as ordens. Eles apontariam e disparariam contra o adversário. Os seres humanos só disparam na direção geral de seu alvo e têm medo de machucar as pessoas. Robôs disparam para matar.”

Jacob Cohn, Pesquisador do Centro de Avaliação Estratégica e Orçamental, disse que não há previsão quando a tecnologia autônoma pode ser exercida.

“As armas semi-autônomas já estão em uso em campos de batalha”, disse Cohn. “Mas, armas autônomas podem agir e reagir mais rápido do que o humano”.

Não há planos de robôs assassinos desenvolvidos para países no radar dos EUA, disse Pike, mas observou que o governo evita revelar planos secretos envolvendo países como a Coréia do Norte, a China e a Rússia.

De acordo com a Pike, a tecnologia como robôs assassinos envolve “Lei de Moore, que afirma que o poder de processamento geral de computadores duplica a cada dois anos”.

“Temos tecnologia como Siri na palma das nossas mãos. Essa tecnologia já não é milagrosa, é normal “, disse Pike.

Comente!