Ufologia

Vimanas, as antigas máquinas voadoras da Índia

Na mitologia hindu, o demônio Rei Ravana de Lanka (antigo Sri Lanka) trouxe ao país algo chamado Pushpaka Vimãna. Vimãna literalmente significa atravessar ou medir. Outros usos da palavra referem-se a um templo ou a uma máquina voadora.

O Pushpaka Vimãna era considerado o palácio voador do Rei Ravana, com a forma de um pavão gigante.


De fato, há muitas referências a máquinas voadoras nas esculturas de templos e nos escritos antigos.

As imagens encontradas nas vigas do teto de um Templo do Novo Reino de 3000 anos, localizado a várias centenas de quilômetros ao sul do Cairo e o platô de Gizé, em Abydos, se assemelham às aeronaves modernas.

Afirma-se que alguns anos atrás, os chineses descobriram alguns documentos sânscritos em Lhasa, no Tibete, e os enviaram à Universidade de Chandrigarh para serem traduzidos.

A Dra. Ruth Reyna, da Universidade, disse que os documentos contêm instruções para a construção de naves espaciais interestelares motor de mercúrio.

Seu método de propulsão, disse ela, era “anti gravitacional” e se baseava em um sistema análogo ao de “laghima”, uma força centrífuga forte o suficiente para contrariar as forças gravitacionais”.

Os manuscritos, no entanto, não mencionam como a comunicação interplanetária foi alcançada, mas eles mencionam uma viagem da Terra para a Lua, embora não esteja claro se a viagem foi planejada ou realizada.

Os cientistas indianos foram extremamente reservados sobre o valor desses documentos, mas se tornaram menos receosos quando os chineses anunciaram que certas partes da informação estavam sendo estudadas para inclusão em seu programa espacial.

Apesar das alegações de que estudiosos antigos estavam cientes de máquinas voadoras que usavam mercúrio como propelente, isso não é algo que a NASA aproveita hoje.

Embora os motores de íons com mercúrio tenham sido testados no passado, eles não estão sendo usados ??agora.

Se os alienígenas desciam em naves “mágicas” de metais místicos, com incrível inteligência e tecnologia, não há dúvida de que os humanos da época os teriam tratado como deuses.

Sobre o autor

Renê Fraga

é bacharel em administração de empresas e fundador da FragaNet Networks – empresa especializada em comunicação digital e mídias sociais. Em seu portfólio estão projetos como: Google Discovery, TechCult, AutoBlog e Arquivo UFO. Também foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

Comente!

error: