Inexplicável

Misterioso buraco gigante se abriu na Antártida

Um buraco gigante, assim como visto no filme de Arquivo X, em 1998, se abriu na Antártida, e os cientistas não sabem o que está acontecendo por lá.

O buraco gigantesco e misterioso “e bastante notável”, disse o físico atmosférico Kent Moore, professor do campus de Mississauga da Universidade de Toronto, por telefone. “Parece que você apenas perfurou um buraco no gelo”.


Área de águas abertas cercadas por gelo marinho, como este, são conhecidas como polinias. Elas se formam nas regiões costeiras da Antártida, disse Moore.

O que é estranho neste caso, porém, é que esta polinia é “profunda no gelo”, ele disse, e deve ter sido formado através de outros processos que não são entendidos.

“Isto têm a centenas de quilômetros da borda do gelo. Se não tivéssemos um satélite, não saberíamos que estava lá”.

Uma polinia foi observada no mesmo local, no Mar de Weddell da Antártica, na década de 1970, de acordo com Moore, que trabalha com o grupo Southern Body e Climate Observations and Modeling (SOCCOM), com sede na Universidade de Princeton, para analisar o que está acontecendo .

Naquela época, as ferramentas de observação dos cientistas não eram tão boas, de modo que o buraco permaneceu em grande parte não estudado. Então, desapareceu por quatro décadas, até o ano passado, quando reabriu por algumas semanas. Agora está de volta.

“Este é o segundo ano consecutivo que está aberto depois de 40 anos”, disse Moore. “Ainda estamos tentando descobrir o que está acontecendo”.

É tentador culpar esse estranho buraco na mudança climática, que está remodelando tanto do mundo, incluindo a Antártica. Mas Moore disse que isso é “prematuro”.

Os cientistas podem dizer que, com certeza, a polinia terá um impacto maior nos oceanos.

“Uma vez que o gelo do mar derrete, você tem esse enorme contraste de temperatura entre o oceano e a atmosfera”, explicou Moore.

Usando observações de satélites e robôs de águas profundas, Moore e seus colaboradores estão trabalhando em pesquisas ainda inéditas que visam responder a algumas dessas questões.

“Comparado com 40 anos atrás, a quantidade de dados que temos é incrível”, disse ele.

A Antártica está passando por mudanças maciças no momento, e descobrir por que um buraco estridente pode se abrir de repente será a chave para entender sistemas maiores em jogo.

Sobre o autor

Renê Fraga

é bacharel em administração de empresas e fundador da FragaNet Networks – empresa especializada em comunicação digital e mídias sociais. Em seu portfólio estão projetos como: Google Discovery, TechCult, AutoBlog e Arquivo UFO. Também foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

1 comentário

Comente!

error:
%d blogueiros gostam disto: