Metano poderia explicar o Triângulo das Bermudas?

mar-de-barents

Uma nova descoberta na costa da Noruega poderia ajudar a resolver o longo mistério do Triângulo das Bermudas.


Cientistas da Universidade do Ártico da Noruega revelaram esta semana a existência de várias crateras submersas no fundo do Mar de Barents, alguns medindo até 800 metros de diâmetro.

Os pesquisadores acreditam que estas crateras continham extensos acúmulos de gás metano.

“Várias crateras gigantes existem no fundo do mar em uma área no mar de Barents centro-oeste … e são, provavelmente, uma causa de enormes explosões de gás”, a equipe disse ao Sunday Times.

“A área de cratera representa um dos maiores pontos quentes para liberação de metano marinho no Ártico”.

A relevância do descoberta e a conexão com o mistério do Triângulo das Bermudas está no que acontece quando um navio passa por cima de um destes acúmulos de metano no momento em que está sendo liberado.

“Há uma (teoria) que o Triângulo das Bermudas é uma consequência de reações de hidratos de gás”, disse Igor Yelstov do Instituto Trofimuk de Petróleo gás Geologia e Geofísica.

“Eles começam a de decompor ativamente com o metano gelo se transformando em gás. Isso acontece em forma de avalanche, como uma reação nuclear, produzindo enormes quantidades de gás”.

Isso faz com que o oceano aqueça e os navios afundem em suas águas misturadas com uma grande proporção de gás.

A teria, porém, não explica os relatos de aviões que desapareceram na região.

Comente!