Ratos canibais infestam navio fantasma enigmático

navio-orlova

As autoridades do Reino Unido dizem ter encontrado um navio fantasma que estaria cheio de ratos canibais.


O navio de cruzeiro malfadado Lyubov Orlova era igual a qualquer outro, até que, em um dia fatídico em novembro de 2006, ele encalhou na Shetlands do sul.

Quatro anos depois, o navio acabou abandonado em Newfoundland, quando a equipe o abandonou devido a uma disputa salarial, o que levou o navio a ser vendido como sucata em 2012.

A onda de azar do Orlova continuou quando, durante um esforço para rebocá-lo para um ferro-velho na República Dominicana República, a linha quebrou, deixando o navio a deriva no Atlântico.

Nos meses que se seguiram, o navio tornou-se uma espécie de lenda, um navio fantasma, vagando em marés sem nunca atingir o seu destino. Relatórios recentes têm sugerido que as tempestades de inverno pode tê-lo empurrado em um curso para o Reino Unido, o que ajudou a gerar um interesse renovado em sua história.

Para adicionar mais intriga ao Orlova, também tem sido sugerido que ratos tomaram conta do navio, depois de ficarem comida, recorrendo ao canibalismo para saciar seus apetites.

Autoridades costeiras ainda estão procurando pelo navio, mas até o momento sua exata localização permanece um mistério.

One Reply to “Ratos canibais infestam navio fantasma enigmático

  1. Navio à deriva é encontrado na costa irlandesa
    Embarcação estava à deriva, sem tripulação a bordo, exceto ratos, e sem luzes
    Um navio russo em ruínas, que está à deriva em alto mar há um mês, foi localizado a 2.400 km da costa oeste da Irlanda, de acordo com uma agência de inteligência dos Estados Unidos.
    Sem tripulação a bordo, exceto ratos, sem luzes que alertam sua presença, o navio russo Lyubov Orlova ficou à deriva no final de janeiro, e as autoridades marítimas não sabiam até o momento sua localização precisa.
    Um relatório da Agência Nacional de Inteligência Geoespacial consultado pela AFP indica que o navio foi localizado nas coordenadas 044-51.34W e 49-22.70N, a cerca de 1.300 milhas náuticas (2.400 km) da costa irlandesa.
    As informações constam da “Edição Atlântica do Memorando Diário”, um documento da agência de inteligência marítima que analisa imagens de satélite e produz mapas detalhados para o governo americano.
    O Lyubov Orlova, construído em 1976, partiu da ilha canadense de Newfoundland em 23 de janeiro rebocado por um rebocador. Deveria ir para a República Dominicana, onde o seu proprietário, um comerciante de sucatas, tinha a intenção de atracá-lo. Mas o cabo que o ligava ao rebocador quebrou no dia seguinte à partida, e o “Lyubov Orlova” ficou à deriva como um navio fantasma.
    A Autoridade de Transporte do Canadá não parecia se importar com seu paradeiro, e chegou a reconhecer na segunda-feira que não sabia onde estava, mas as autoridades disseram que o proprietário é responsável por seus movimentos.
    O navio rapidamente atingiu águas internacionais, sem luz, de acordo com a associação Robin Hood, e sem balizas de localização, segundo as autoridades canadenses.
    No caso de um barco à deriva com passageiros a bordo, a Convenção Internacional para a Salvaguarda do Mar pode ser aplicada, mas nada está previsto para o caso de um barco vazio, disse à AFP na quarta-feira (20) Jacky Bonnemain, porta-voz da associação ecologista Robin Hood.
    Bonnemain alertou para o risco de um acidente “em uma área de intenso tráfego marítimo” e poluição.
    Fonte: R7

Comente!