Policial de Roswell tinha ordem de ‘atirar para matar’

ufo-roswell

Um soldado encarregado de guardar os restos do OVNI de Roswell tinha uma ordem de atirar em qualquer pessoa que tentasse chegar perto.


Anthony Bragalia, pesquisador de OVNIs, descobriu um depoimento intrigante de Calvin Cox, que em julho de 1947 esteve próximo de um dos casos mais infames da história ufólogica.

Responsável pelo distrito em Roswell, Novo México, Cox foi obrigado a guardar o os escombros do incidente.

Destaca-se o fato de que suas instruções eram para ‘atirar para matar’ quem tentasse acessar o prédio, uma ordem que pôe em dúvida a versão oficial de que os destroços não era nada mais do que um balão meteorológico.

Ele afirma não pode dar uma olhada de perto nos escombros, mas suas estruturas não pareciam com nada do que seria esperado a partir dos restos de um balão meteorológico.

De longe, ele teve um vislumbre de resíduos metálicos, metal estruturado estranho um o material que apareceu para ser queimado e manchado.

Condenado a nunca falar do que aconteceu, Cox manteve o silêncio sobre esses eventos há mais de 65 anos.

Uma equipe de investigadores tem renovado esforços para encontrar e contatar os últimos veteranos de vida da Força Aérea do Exército que estavam em Roswell durante o tempo de um acidente de UFO que ocorreu no início de julho de 1947.

Comente!