Cães militares mostram sinais de estresse pós-combate

cao-militar

Estudos mostram que os humanos não são os que sofrem só de Distúrbio de Stress Pós-traumático – os caninos estão mostrando sinais também.


É fácil explicar os fatores em homens e mulheres que são levados a lugares como Iraque e Afeganistão e voltam para casa de maneira tão maltratada que a maioria de nós nunca vai entender, mas existem outros soldados, cujo atendimento é muito mais difícil devido ao fato de que eles não podem falar.

Cinquenta cães farejadores de bombas morreram no cumprimento do dever desde 2005 e 500 são treinados a cada ano a ser enviado. Destes, 5% sofrem de Distúrbio de Stress Pós-traumático e apenas uma clínica veterinária nos EUA é capaz de lidar com o tratamento.

A chamada é de um médico no Afeganistão. Seu paciente enfrentou um tiroteio e agora estava encolhida em um berço, se recusando a sair.

Cães que não se recuperam rapidamente são devolvidos para suas bases para tratamento a longo prazo. Mas se eles continuam a apresentar sintomas após três meses, eles normalmente são transferidos para funções diferentes, disse Dr. Burghardt.

Comente!