Balão sonda pode ser facilmente confundido com OVNIs

balao-sonda

Facilmente confundidos com OVNIs, esse artefato ‘terrestre’ tem particularidades próprias:


– movimentam-se de acordo com os ventos;
– refletem a luz solar, perdendo o brilho com o pôr do sol;
– podem permanecer praticamente estáticos durante muito tempo.

Em todo o mundo, à meia-noite e ao meio-dia de Greenwich, centenas de balões meteorológicos são lançados para a alta atmosfera. Enquanto vão subindo, aparelhos automáticos vão registando a humidade, a pressão e a temperatura e transmitem-nas à base. A velocidade do vento às várias altitudes pode ser calculada seguindo o balão na sua subida.

O balão-sonda é utilizado para colher dados diretamente nas camadas mais altas da atmosfera. Um balão-sonda nada mais é que uma bola de borracha, cheia de gás hélio, tendo um pára-quedas que, por sua vez, sustenta a rádio-sonda. Na maior parte das vezes, o conjunto inclui transmissores de rádio, alimentados por pequenas baterias. Os dados, dessa forma, são colhidos e imediatamente transmitidos a uma central, onde são processados.

No instante do lançamento, o balão tem um diâmetro relativamente pequeno, em virtude da pressão atmosférica elevada que age sobre ele; à medida que sobe, a pressão atmosférica diminui e o balão aumenta. Na variação de volume do balão, na verdade, dois factores se contrapõem: a redução da temperatura, nas camadas imediatamente superiores da atmosfera, cujo efeito seria a contracção do balão; e a redução de pressão, que contribui para a expansão do gás interno. A variação de pressão, entretanto, predomina sobre a de temperatura – e, consequentemente, o balão aumenta continuamente de volume à medida que sobe. A máxima altitude por ele atingida não pode ser prevista teoricamente, devido a fenómenos aleatórios da atmosfera terrestre.

A experiência mostra que o balão fica oscilando entre 15000 e 20000 metros de altura, por um intervalo de tempo compreendido, geralmente, entre cinco e dez horas. A baixa pressão vigente, por fim, termina por fazê-lo explodir; e o rádio-sonda volta ao chão em queda suave, graças ao pára-quedas.

Comente!